"Planeta dos Macacos: A Origem" impressiona

Filmes com macacos inteligentes sempre me impressionam. Macacos sempre me impressionam, para falar a verdade.

Há uns dois anos, estive no zoológico de Bauru. Não me importei com o cheiro forte das jaulas. Passei um bom tempo de olho nos chimpanzés, bonobos e outras espécies. Em alguns momentos eles são muito parecidos com humanos. E isso me deixa maluco.

Depois de ter estudado psicologia, fiquei ainda mais intrigado pela semelhança. Gosto de pensar que eles são humanos em estado bruto. Quase rascunhos. E observá-los é sempre divertido e assustador. Assim como "Planeta dos Macacos: A Origem".

Lembro de ter saído fascinado do reboot de "Planeta dos Macacos" (2001) de Tim Burton. Mas fui o único. O filme foi massacrado. Eu ainda não tinha revisto o original de 1968 depois de adulto.

Quando o fiz, entendi uma parte da pancadaria sobre Burton. Percebi que minha macacomania tinha falado mais alto no carinho que tive pelo filme do marido da Helena Bonham-Carter.

Este "Planeta dos Macacos: A Origem", no entanto, vai muito além do meu apreço pelos símios. O filme de Rupert Wyatt é um thriller costurado que se transforma em um bem dirigido filme de ação. E convence nos dois gêneros.

James Franco é Will, cientista de coração mole que decide adotar um chimpanzé nascido em um laboratório de testes. César, como ele é batizado, é vivido com maestria pelo "especialista" Andy Serkis (de "O Senhor dos Anéis" e "King Kong"). O animal é descendente de um macaco-fêmea exposto a uma poderosa droga contra o Mal de Alzheimer. Em humanos, o objetivo é fazer com que os efeitos da doença regridam. Em macacos, bom, o efeito acaba sendo um pouco mais amplo.


"Planeta dos Macacos: A Origem" é o curioso caso de um prequel de uma franquia que já tentaram reinventar. E que teve menos sucesso que o esperado. Bom para os cofres de Hollywood que alguém tenha tido coragem de desengavetar, novamente, o argumento dos macacos que dominam o planeta.

John Lithgow faz uma ponta como o pai doente de Will. Freida Pinto faz uma aparição quase cosmética com seu sorriso de fazer até macaco aprender a falar - não há aqui qualquer tipo de reclamação.

Que o próximo filme da franquia, que tem tudo para ser um sucesso, não demore a sair. Confira abaixo o trailer do filme:

"Planeta dos Macacos: A Origem" impressiona "Planeta dos Macacos: A Origem" impressiona Reviewed by Diego Iwata Lima on 00:12 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.