A Rede Social

"Se vocês fossem os criadores do Facebook, teriam inventado o Facebook"
Sim, eu sei que estou absurdamente muito atrasada. Mas até ontem eu não tinha assistido ao fenômeno "A Rede Social". Claro que ao término do filme já tinha me arrependido muito pela demora. Mas, sinceramente, ainda não consegui definir se gostei ou não do que vi. O que é bom, não é? Se o filme te deixa pensando nele por dias e mais dias, ruim não deve ser.


A história todos já conhecem. Mark Zuckerberg (Jesse Eisenberg) leva um pé na bunda da namorada e resolve se vingar dela na internet. Depois de criar um site onde meninas são eleitas as mais bonitas de Harvard, ele criou o Facebook. Com a ajuda de seus amigos, inclusive do brasileiro Eduardo Saverin (Andrew Garfield), ele transforma uma ideia de nerds da faculdade em um sucesso mundial.

Mark é um nerd. É aquele tipo de garoto que sofre bullying na escola, tem poucos amigos e quase não pega mulheres. É um gênio, claro. Mas é tímido demais e em alguns momentos da história me fez sentir um pouco de dó dele. O seu jeito "tô nem aí para o mundo" faz com que ele seja, de certa maneira, uma pessoa ingênua.


E é justamente essa falha que deixa que toda a confusão entre Eduardo e Sean Parker (Justin Timberlake) se torne um rombo de 65 milhões de doláres em sua conta bancária. Ao mesmo tempo, ele conquista o público. Quem não queria ter a calma e o "pouco caso" dele para usar todos os dias na vida?


Na minha visão de toda essa confusão que envolve a criação do Facebook, Eduardo Saverin não é tão vítima como se mostra no filme. Podem criticar, mas ele abandonou muito o barco. Ficou preocupado apenas com o dinheiro e esqueceu de se fazer presente. Claro, que isso não justifica a mancada de Mark e Sean, mas Eduardo deveria ter deixado o "empresário" um pouco de lado.

Entendo porque não ganhou o Oscar como melhor filme. Na época, li muitas reclamações de pessoas indignadas. Mas o filme concorreu com "O Discurso do Rei", "127 Horas" e "Cisne Negro". Como concorrer com tanta coisa boa?

Entre as muitas coisas geniais do filme, destaco a minha predileta: tocar "Baby, you're a rich man", dos Beatles, nos créditos do filme foi uma escolha sensacional. Mark é um homem rico, aliás segundo a Forbes é a 36ª pessoa mais rica do mundo, mas termina a sua saga em "A Rede Social" tentando adicionar a ex-namorada lá do começo da história. Ééé, de que adiantou tanto dinheiro?


Bom ou não, esse filme conta a história da criação de um dos meus maiores vícios na vida. Então, se por um acaso você é um louco (assim como eu) e não assistiu ainda: CORRA! Não irá se arrepender...

Ah, claro, como pude esquecer?
Obrigada, Erica Albright.

Ps: "Baby, you're a rich man" não foi só uma boa escolha porque tem tudo a ver com o filme. Só o simples fato de ser dos Beatles já a torna a melhor escolha.
A Rede Social A Rede Social Reviewed by Mayara Munhoz on 18:19 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.