O Diário da Princesa

"Para todas as garotas que nunca sonharam em se tornar princesa" 

Anne Hathaway estreou nas telinhas com o "Diário da Princesa", uma produção dos estúdios Disney. A história é baseada nos livros da escritora Meg Cabot, com o mesmo título. São 11 publicações, contando histórias da vida de Mia Thermopolis. Já li dois ou três desses livros e eles são bem engraçadinhos. Mas, claro, para um público mais jovem - entre 13 e 17 anos, talvez.

Mia Thermopolis (Anne Hathaway) é uma garota de 15 anos, desajeitada e nada popular, que descobre ser filha do príncipe herdeiro do trono de Genóvia - o país é fictício. Do dia para a noite, Mia precisa aprender e, principalmente, se decidir se quer ser a princesa de Genóvia. Para isso, ela conta com a ajuda e os ensinamentos de sua avó, a Rainha Clarisse (Julie Andrews). Mia terá que lidar com o interesse de pessoas falsas, com o ciúmes da sua melhor amiga e os sentimentos por um garoto, ao mesmo tempo que precisa decidir qual será o seu futuro.

Ao ler o nome do diretor do filme, já sabia que o filme não teria como decepcionar. Garry Marshall - que além de diretor, é ator e roteirista - também dirigiu "Amigas para sempre", "Noiva em Fuga", "Idas e Vindas do Amor", e o maravilhoso "Uma linda mulher".



Apesar de o filme não seguir à risca o que acontece no livro (mas qual não faz isso?), a história é leve e divertida. Pode-se dizer que é um conto de fadas da atualidade. O que muitas garotas adorariam viver com seus 15 anos.


Para uma estreante, Anne Hathaway provou que iria fazer sucesso nos cinemas dali para frente. Segura e simpática, ela mostrou lá em 2001 que iria se tornar uma das principais atrizes para comédias, com uma atuação quase impecável.

O filme foi um sucesso. Somente em seu final de semana de estreia, no EUA, faturou cerca de 22 milhões de doláres. No final de suas exibições no cinema, tinha faturado mais que o triplo que foi gasto para sua produçaõ - 37 milhões de doláres. Foi indicado para 11 prêmios do cinema, e venceu em duas ocasiões: ASCAP Award, pela música do filme, e como o melhor longa de comédia no Young Artist Awards.


Tenho duas cenas prediletas: a primeira, quando ela e a vó vão se divertir pela cidade e acabam acidentalmente batendo em um bonde. A maneira como a rainha escapa de levar uma multa é sensacional; a segunda, é no finalzinho, com o tão esperado beijo e o pézinho que levanta. Que garota nunca passou dias imaginando essa cena?

Acredito que poucas pessoas ainda não tenham visto. Mas se você for uma delas e estiver afim de reviver seus 15 anos: aproveite!
O Diário da Princesa O Diário da Princesa Reviewed by Mayara Munhoz on 18:01 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.