É possivel ser infeliz sendo George Clooney?

Em "Os Descendentes", adaptado do romance de Kaui Hart Hemmings, o diretor Alexander Payne ("Sideways - Entre umas e outras") quer nos convencer de que é possível ter a aparência do George Clooney, uma conta bancária milionária, morar no Havaí e, mesmo assim, ser infeliz. E Alexandre Payne consegue.

Clooney, um dos favoritos ao Oscar, é Matt King. Sua esposa Elizabeth (Patricia Hastie) está internada, após sofrer um acidente. Não bastasse a dificuldade de lidar com a saúde da esposa, também está nas mãos de Matt decidir o futuro de milhões de dólares de sua família. Como representante legal de uma longa linhagem familiar, Matt tem de decidir quem será o comprador de um dos últimos trechos de paisagem virgem do Havaí, herança desde os tempos do Rei Kamehameha.

Mas isso não é tudo. Porque Matt tem duas filhas. Scottie, a mais nova, vive com o pai. Já a bela Alexandra (Shailene Woodley), estuda em um colégio interno, do outro lado do arquipélago. E é justamente Alexandra quem vai conduzir o personagem de Clooney ao longo da trama. A filha norteia o pai no meio de todas essas questões. Inclusive no que diz respeito a um segredo envolvendo a própria mãe.


Clooney está excelente. A despeito do favoritismo de Jean Dujardin ("O Artista") na corrida pela estautueta, o charmoso ator pode colocar sua atuação no filme de Payne com orgulho entre os pontos mais altos de sua carreira. Boas atuações, aliás, não faltam, inclusive dos coadjuvantes. Shailene Woodley também atua com muita segurança. Vale também a menção à pequena Amara Miller. A garota surpreende, tanto em momentos comoventes como fazendo escada a Sid (Nick Krause), amigo de Alexandra, que cai de para-quedas na história para ser um útil alívio cômico.

Curioso que a trama se desenvolva no Havaí. Pois a vida de de Matt King se parece mesmo com o arquipélago. Há muita beleza, muitos aspectos positivos. Mas todos afastados um do outro, desconectados pelo mar. Matt também está ilhado.


O filme não deve levar o Oscar de melhor filme. Mas Clooney pode acabar surpreendendo. Independentemente disso, "Os Descendentes" merece ser celebrado como atestado da maturidade de Alexandre Payne, também indicado ao Oscar, como diretor de primeira linha. O filme concorre ainda a melhor edição e roteiro adaptado.
É possivel ser infeliz sendo George Clooney? É possivel ser infeliz sendo George Clooney? Reviewed by Diego Iwata Lima on 14:19 Rating: 5

Um comentário:

Halysson Britto disse...

To muito afim de ver esse filme, ver se consigo esse final de semana! =]

Tecnologia do Blogger.