Quando em Roma


Quando se está em casa e não tem nada para fazer, a televisão a cabo é a melhor solução. Em um dos meus passeios com o controle remoto, parei em um filme que estava acabando de começar: “Quando em Roma”, dos estúdios Walt Disney.

Beth Harper (Kristen Bell) é uma bem-sucedida curadora de arte nova iorquina. Uma workaholic que não consegue se dar bem no amor por causa do seu trabalho. Durante o casamento da sua irmã mais nova em Roma, na Itália, ela conhece o padrinho Nick (Josh Duhamel). Então ela decide dar uma chance ao amor, mas é surpreendida ao vê-lo beijando outra mulher. Revoltada, ela vai até a “Fontana di Trevi”, uma fonte dos desejos, e rouba cinco moedas. Ao voltar para Nova York ela descobre que a sua vida virou de ponta cabeça.

Sim, essa é mais uma comédia romântica americana com os clichês que todos já conhecem. Mas “Quando em Roma” vai te provar que o que por mais previsível que seja um filme pode te surpreender.  O filme é dirigido por Mark Steven Johnson, que também escreveu o roteiro. O curioso é a sequência de filmes que ele escreveu antes dessa comédia: “Demolidor”, “Elektra” e “O Motoqueiro Fantasma”. São estilos completamente diferentes de “Quando em Roma”

O elenco conta com três participações bem especiais. Anjelica Huston, de “A Família Addams”, como a chefe de Beth; Danny DeVito, de “Junior” e “Batman”, como um comerciante de linguiças; e uma pequena aparição de Shaquille O'Neal, o famoso ex-jogador de basquete, como ele mesmo.  Além deles, Will Arnett, Jon Heder, Dax Shepard, Alexis Dziena e Don Johnson completam o elenco principal. 


O longa tem momentos engraçados. Destaque para duas cenas: a primeira, no casamento da irmã, Beth é a encarregada de quebrar um vaso – uma tradição italiana, que diz que em quantos pedaços o vaso se quebrar, será a quantidade de anos que os noivos terão sucesso – e ela simplesmente não consegue; a segunda cena é mais para o final do filme, quando ela precisa chegar a tempo em uma exposição e Nova York está sendo atacada por uma forte tempestade e o trânsito está caótico. A solução? Atravessar a cidade dentro de um carro amarelo italiano, menor que um Mini Cooper, com mais quatro pessoas. 


Destaque para a boa atuação de Josh Duhamel, de “Transformes”. Ele consegue fazer Nick ser um ex-jogador de futebol divertido. Convence, sem precisar usar sua beleza ou seu corpo para isso. Mas claro, é sempre bom ver aqueles olhos verdes na tela da televisão. Kristen Bell também não fica atrás. Além de linda, ela está muito bem no papel da atrapalhada Beth. Ponto positivo também para o figurino da personagem. Com um visual chique e moderno, Beth está sempre linda, mas com um destaque para os dois vestidos usados nos casamentos. 

A comédia, apesar de ter um resultado final previsível, agrada. As cenas são bem elaboradas e a história bem feita, apesar de ser praticamente um conto de fadas. E claro, não podemos esquecer Roma. A cidade italiana tem um charme inexplicável e apaixonante. É sempre bom apreciar as paisagens dessa cidade maravilhosa, mesmo que em poucas cenas como acontece no longa. 


Para quem é fã de comédias românticas, essa é uma ótima escolha e uma boa surpresa. Ah, duvido que, mesmo com toda a confusão de Beth, você não termine de assistir ao filme morrendo de vontade de ir até a “Fontana di Trevi”, jogar sua moeda e fazer um pedido. 

Quando em Roma Quando em Roma Reviewed by Mayara Munhoz on 17:59 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.