Filme de Anderson Silva é "Rocky" da vida real

Você pode até torcer o nariz para a violência às vezes graficamente excessiva do MMA (sigla em inglês para "Artes Marciais Mistas"). Mas não pode deixar de reconhecer que o lutador brasileiro Anderson Silva, campeão mundial dos médios, considerado por muitos o maior lutador do planeta, é um personagem dos mais carismáticos. Sem medo de tirar sarro de si mesmo, o "Spider" (aranha em inglês, seu apelido) já vale o ingresso do documentário "Como Água", em cartaz a partir do dia 16 de março, em 150 salas de cinema pelo Brasil. 

O título faz referência a uma fala do lendário mestre Bruce Lee (1940-1973), que também fez muito sucesso nos cinemas e é mostrado em cena de arquivo no início do documentário. Para Lee, grande responsável pela popularização dos filme de artes marciais e maior ídolo de Anderson, um bom lutador tem de ser como a água, que se adapta às condições que a cercam. Se você coloca a água em um copo, ela toma a forma do copo - e assim, sucessivamente.

A história de Silva é tão boa, que se tivesse sido escrita por um roteirista para um filme de ficção, seria chamada de clichê, ou fantasiosa. O filme praticamente se concentra no período de três meses que antecede a luta de Anderson com o falastrão lutador americano Chael Sonnen, em agosto de 2010. Até nisso, a história de Anderson parece fantasiosa. Sonnen se comporta como um vilão caricato daquele famoso seriado do Batman dos anos 50: provoca descaradamente, conta mentiras, ofende e não se importa com a realidade.
Anderson Silva é uma espécie de Rocky Balboa da vida real e parece saber disso. Não é por acaso que uma das últimas falas de Anderson no filme é uma citação do sexto e último ultimo filme da franquia inventada por Sylvester Stallone. E se Anderson Silva é Balboa, Chael Sonnen cai como uma luva no papel de Ivan Drago (Dolph Lundgren), de Rocky IV.

A maior parte de "Como Água" retrata a rotina de preparação até o esperado combate. Mas faz também uma contextualização sobre a vida e a carreira de Anderson, que serve como apresentação. Há cenas na casa da Família Silva, em que Anderson é visto interagindo com os filhos e com a mulher. Humano, calmo e palpável. Até nisso a montagem do filme se parece com Rocky. Só falta mesmo "Eye of the Tiger" ao fundo. As canções de Seu Jorge que permeiam o longa não substituem o mítico prefixo à altura.

Anderson e a família em uma das pré-estreias do filme
Para traçar o perfil do Aranha, o diretor norte-americano Pablo Croce recorre a imagens de arquivo, nem sempre com grande qualidade, e entrevistas com pessoas que cercam o lutador. Entre os personagens estão técnicos e colegas de octógono (Lyoto Machida, José Aldo, Júnior Cigano e Rodrigo Minotauro, entre outros), seu empresário Ed Soares e até mesmo o poderoso Dana White, presidente da franquia UFC (Ultimate Fighting Championship), pela qual o brasileiro está ranqueado.

Anderson Silva e sua naturalidade diante das câmeras seguram o filme, mas não escondem todos os seus defeitos. E o pior é que a maior parte deles poderia ter sido facilmente evitada. Alguns personagens, por exemplo, não são identificados. Um dos treinadores de Muay Thai do lutador aparece somente como "treinador de Muay Thai", nos caracteres. A mixagem de áudio também deixa a desejar. As declarações dos estrangeiros contam com legenda. Mas, quando alguém fala português, a compreensão quase sempre é muito difícil. Nesse quesito, o filme realmente se complica.


"Como Água", aposta alta da distribuidora California Filmes, luta pelo sucesso no Brasil contra dois estigmas poderosos: documentários e filmes de esporte não costumam fazer sucesso por aqui. Apenas para comparação, "Senna", vencedor do BAFTA, teve apenas 200 mil espectadores. "Pelé Eterno", distribuído pela poderosa Universal, foi um enorme fiasco de bilheteria e de vendas de DVDs. Por que "Como Água" terá vida diferente?

"Pelé e Senna já não falam mais com o público jovem, que é quem vai mais aos cinemas", acredita Vladimir Fernandes, presidente da California Filmes. "Anderson é um ídolo para a molecada e o UFC está muito em alta, atualmente. O momento é muito propício", acrescenta o executivo.

Também joga a favor do filme sua duração curta, inferior a duas horas. Segundo estimativas de Fernandes, o filme pode chegar a ser exibido em 200 salas. Difícil saber se Fernandes terá razão. Mas o filme vai certamente ser mais uma valiosa ferramenta do império do UFC na conquista de novos adeptos e agradará em cheio aos fãs do lutador.

Veja o trailer de "Como Água":

Filme de Anderson Silva é "Rocky" da vida real Filme de Anderson Silva é "Rocky" da vida real Reviewed by Diego Iwata Lima on 23:46 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.