"Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge" é o grande truque de Christopher Nolan

Em "O Grande Truque" (2006), o diretor Christopher Nolan explicou os três atos que constituem um truque de mágica. O primeiro é a "promessa" (the pledge), que apresenta um objeto aparentemente normal para a audiência. O segundo é a "virada" (the turn), quando aquilo que era normal torna-se aparentemente anormal, transforma-se superando suas características previamente conhecidas e aguçando a curiosidade. "O que foi isso que ele fez?", perguntam-se os espectadores. A terceira é o "grande truque" (the prestige), propriamente, que amarra os dois primeiros atos, deixa a plateia embasbacada e abre caminho para os aplausos.

O que Christopher Nolan fez com sua trilogia de Batman é uma ilustração clara destes três estágios. "Batman Begins" (2005), apresentou ao mundo uma nova roupagem para o mítico herói. "O Cavaleiro das Trevas" (2008) levou Batman a um novo estágio, com um roteiro ousado e uma atuação fantástica de Heath Ledger. Mas é em "O Cavaleiro das Trevas Ressurge" que Nolan estabelece de vez sua franquia como a maior e mais relevante artisticamente dentre todos os filmes baseados em personagens de quadrinhos de super-heróis. Um marco não apenas da arte pop, mas também do cinema como forma de arte. Nolan é hoje um autor. Um mágico.

Sou a única pessoa que conheço, dentre as que gostam de filmes com super-heróis, a não ficar de queixo caído com "Os Vingadores". Assistir ao terceiro Batman de Nolan me ajudou a entender um pouco melhor o porquê. "Os Vingadores" retrata heróis reunidos para salvar o mundo. Uma tropa de elite do planeta Terra. E tome-lhe porrada, bomba, explosão, um roteiro de ação muito bem feito, efeitos visuais monumentais, etc. O que há de mais interessante no mundo dos super-heróis, o lado humano de quem veste a fantasia, passa à margem da trama. As motivações dos personagens são rasas. Faltam ao filme algumas doses de densidade. Conflito psicológico. 


Muito da qualidade do novo Batman vem do respeito de Nolan, seu irmão Jonathan, co-roteirista do filme, e do colaborador David S. Goyer pela origem do personagem. Aliás, vale a ressalva: a DC Comics já fez tantas revisões nas mitologias de seu próprio universo, que a melhor maneira de se escrever a afirmação anterior, na verdade, é: "pela origem do personagem consagrada e celebrada pela maioria dos fãs". Graças ao respeito dos Nolan pelo que Batman tem de mais interessante - o lado obscuro de sua personalidade -, desde o primeiro capítulo da franquia já era fácil cravar que os novos filmes de Batman iriam se estabelecer como obras superiores. 

Posicionado no tempo oito anos após os acontecimentos de "O Cavaleiro das Trevas", "O Cavaleiro das Trevas Ressurge" amarra com precisão todas as pontas deixadas pelos filmes anteriores, tendo como base os quadrinhos "Batman: Knightfall" (1933), "The Dark Knight Returns" (1997) e "Terra de Ninguém" (1999)
. Após o bem-sucedido golpe de Relações Públicas tramado por Bruce Wayne (Christian Bale) e o Tenente Gordon (Gary Oldman), para elevar Harvey Dent (Aaron Eckhart, de "Diário de um Jornalista Bêbado") ao papel de herói, Bruce tornou-se uma espécie de Howard Hughes. Vive recluso na ala leste de sua mansão. A violência e a corrupção não desapareceram, mas já não imperam mais em Gotham City. Para Bruce, Batman já não é mais necessário.



Mas a situação começa a mudar justamente no oitavo aniversário da morte de Harvey Dent - de dentro para fora da Mansão Wayne. É nesse dia, em que a casa recebe os festejos oficiais pela memória do patrono da paz de Gotham, que o caminho de Bruce se encontra com o de Selina Kyle (Anne Hatthaway, de "O Diabo Veste Prada") e, mais uma vez, desvia-se do de Miranda Tate (Marion Cottilard). Miranda é uma parceira de negócios das empresas Wayne, interessada no desenvolvimento de uma fonte de energia limpa e potente, com base em um reator de fissão nuclear que tenta, sem sucesso, encontrar-se com Bruce há anos. Selina, ao que parece, trabalha como garçonete no evento. 

Enquanto isso, um grupo terrorista paramilitar sequestra um avião em movimento que transporta o cientista russo Pavel (Alan Aboutbol). O líder dos sequestradores é o terrorista conhecido pelo codinome Bane (Tom Hardy), cuja principal característica, além da extrema força e brutalidade, é uma medonha máscara que lhe cobre a boca. Os eventos descritos nos dois parágrafos acima estarão em breve ligados. Assim como o destino do jovem policial John Blake (Joseph Gordon-Levitt, de "50%" e "500 dias com ela",  cada vez melhor).



Bruce Wayne e o agora Comissário Gordon, no entanto, não percebem que a violência, antes dona dos mais altos estratos sociais de Gotham, encontrou maneiras de crescer, literalmente, no submundo da cidade. A violência que as autoridades imaginavam ter sido erradicada, na verdade, foi apenas varrida para debaixo do tapete - ou, nesse caso, para dentro dos bueiros. E como tudo que é armazenado sem controle, em dado momento, vai transbordar. Dizer que Batman vai voltar a entrar em ação não estraga a experiência de quem quer assistir ao filme. Até porque, o próprio título já deixa isto bem claro. Mas falar mais do que isso pode tirar do espetador a chance de ser arrebatado pelo inesperado - uma outra marca dos filmes de Christopher Nolan. 

Christopher Nolan, mais uma vez, mostra porque é um dos diretores mais aclamados de seu tempo. Como já fizera nos ótimos "Amnésia", "O Grande Truque" e "A Origem", conseguiu dar a "O Cavaleiro das Trevas Ressurge" e aos demais filmes da série uma distinção característica. Nolan tem uma marca, que imprime com clareza em tudo que dirige. Domina, dentro de seus filmes, a construção dos atos da  mágica que ele mesmo explicou. E cerca-se de pessoas extremamente competentes para auxiliá-lo.


O elenco de "O Cavaleiros das Trevas Ressurge" é excelente. Michael Caine, mais uma vez, chega a dar arrepios com a integridade que consegue emprestar ao mordomo e tutor Alfred. O personagem de Caine funciona também como um elo entre as três obras, amarrando e dando relação de causalidade a alguns acontecimentos dos três roteiros. Morgan Freeman e seu ar cool fazem com que o espectador deseje ser um aliado de Lucius Fox. E Anne Hathaway, mostrando ser uma atriz cada vez mais completa e versátil, não fica devendo em nada para seus pares. Nem para Christian Bale. 

Assim como Christopher Reeve, que entrou para a história como Superman, Bale vai se tornar eterno sob a máscara do personagem criado por Bob Kane. A edição do velho parceiro de Nolan, Lee Smith, também consegue balancear as sequências de ação com os momentos menos movimentados, mas repletos de significado - outro ponto em que "Os Vingadores" falha preponderantemente - sob a música sem histeria de Hans Zimmer. Ou nos eloquentes silêncios de algumas sequências.  

Acho pouco provável a Warner Bros. Pictures não tornar a produzir, futuramente, filmes com Batman. Um personagem tão icônico e aclamado quanto ele é um produto - ou asset, em linguagem corporativa - bom demais para se deixar de explorar. Será, porém, um enorme desafio para quem abraçá-lo. Porque o excelente "O Cavaleiro das Trevas Ressurge" de Christopher Nolan estabeleceu um novo patamar para seu gênero. 
"Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge" é o grande truque de Christopher Nolan "Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge" é o grande truque de Christopher Nolan Reviewed by Diego Iwata Lima on 14:39 Rating: 5

5 comentários:

Anônimo disse...

Assisti a pré-estreia e achei o filme sensacional!!!
E veja bem, eu nunca fui fã de filme de super-herói. Até ontem!
Vou urgente assistir os 2 primeiros e voltarei ao cinema pra ver esse novamente! ;)

@Marcela_Recife

Cinestrela disse...

Olá, Marcela.

Que bom que gostou do filme. Vale a pena ver os dois primeiros. A história fica mais completa.

Obrigada pelo comentário!

alex mendes disse...

Eu assisti o filme hoje e simplesmente adorei,e realmente acho uma pena que a franquia tenha acabado pois esse filme levou toda a história do batman para um outro nivél.Mas tento me conformar com essa desição,o fim do filme foi muito bem feito,sem duvidas superou todos ou outros filmes.

alex mendes disse...

agora queria saber qual será o próximo trabalho do diretor Christopher Nolan,em qual filme ele vai trabalhar depois desse grande lançamento do "O Cavaleiro das Trevas Ressurge"?

Cinestrela disse...

Oi Alex Mendes. Christopher Nolan, atualmente, trabalha no roteiro de "Superman: O Homem de Aço", que será dirigido por Zack Snyder (de "300" e "Watchmen"). Você também falou conosco pelo twitter, não? Já curtiu nossa página no Facebook http://www.facebook.com/Cinestrela ?

Tecnologia do Blogger.