"Álbum de Família" é brilhante e deve colecionar vários prêmios

Peço desculpas por nosso período de ausência e inatividade aqui no Cinestrela. Mas, se é para retomar os trabalhos no blog, que seja com um filme tão bom quanto “Álbum de Família” (August: Osage County).

O início do ano é aquela época em que a gente se surpreende com bons filmes e com boas indicações para os grandes prêmios da indústria cinematográfica. E este é daqueles filmes com jeito de ter boa carreira nas diversas premiações. Esta, ao menos, é a minha torcida.

A primeira cena do longa já deixa bem claro o que se pode esperar desse drama. Sim, é um drama, mesmo que esteja sendo classificado como comédia em alguns locais. O ator Sam Shepard ("Os Eleitos"), que vive o escritor Beverly Weston diz: “A vida é muito longa”, famosa frase do escritor T.S. Eliot. Logo em seguida ele conta para a recém-contratada empregada Johna (Misty Upham, de "Rio Congelado") que ele e a mulher possuem um acordo; ele bebe e ela toma pílulas.

E é também nessa mesma primeira cena que nós vemos e apreciamos aquilo que é o melhor de o “Álbum de Família”: a senhora Meryl Streep ("A Dama de Ferro" e "Julie & Julia"). No auge dos seus 64 anos e com mais de 70 filmes na carreira, Meryl não se cansa de surpreender a todos com atuações de tirar o fôlego. Não à toa, foi indicada para a categoria de Melhor Atriz nos SAG Awards e no Globo de Ouro – e deve ser também indicada ao Oscar em breve. Posso dizer, com quase certeza, que ela levará todos.

Streep é a matriarca durona da família Weston. Violet é uma viciada em drogas, mais especificamente em pílulas, que sofre com um câncer na boca (e fuma loucamente!). Quando Beverly resolve sumir sem dar notícias, toda a família Weston é convocada para cuidar de Violet. A irmã Mattie Fae (Margo Martindale, de "Dezesseis Luas"), o cunhado Charlie (Chris Cooper, vencedor do Oscar por "Adaptação") e a filha Ivy (Julianne Nicholson, de "Tully"), a única que ainda mora próxima à mãe, são os primeiros a chegar. 


A família fica completa com a presença das outras filhas Barbara (Julia Roberts, de "Espelho, Espelho Meu") e Karen (Juliette Lewis, de "Cabo do Medo"). Elas chegam acompanhadas de Bill (Ewan McGregor, de "O Impossível") e Jean (Abigail Breslin, de "Pequena Miss Sunshine"), marido e filha de Barbara, e Steve (Dermot Mulroney, de "Jobs"), noivo de Karen. “Little” Charlie (Benedict Cumberbatch, da série "Sherlock"), filho de Mattie Fae e Charlie, é o último a se unir a família.

O que ocorre depois é uma história apaixonante, envolvente e muito triste. A família esconde segredos e muito rancor. Em cada nova discussão, um novo assunto é trazido à tona e uma confusão é instalada dentro do casarão de Violet.


Não consigo definir o que me deixou mais impressionada, se o roteiro ou o grande elenco. O roteiro é baseado na peça de Tracy Letts, que venceu um prêmio Pullitzer, e é incrível. Funciona com muita naturalidade na telona e é impossível perceber que se trata de uma adaptação. O elenco é sensacional – e recebeu uma indicação ao SAG Awards. Como há tempos não se via no cinema. Tudo funciona muito bem e todos os atores estão ótimos, sem críticas, sem exceções - mérito também, por tanto, da direção.

Além de Meryl Streep, quem está muito bem é a linda Julia Roberts. Uma atuação digna de prêmios. Julia também foi indicada, como atriz coadjuvante para o SAG e o Globo de Ouro. Barbara é um personagem muito bem construído,e Julia Roberts consegue vivê-la com perfeição. Benedict Cumberbatch, o Little Charlie, também tem seus bons momentos. Apesar de aparecer menos do que os outros personagens, ele está muito bem, com direito até a uma cena musical. Uma curiosidade sobre Benedict: ele é a voz e a sombra do Sauron (ou Necromancer), da trilogia "O Hobbit".


E se tudo isso acima já não fosse o suficiente para que “Álbum de Família” seja um dos melhores filmes a que já assisti, o filme consegue ter méritos ainda em figurino, maquiagem, trilha sonora e fotografia.

“Álbum de Família” é chocante e belo. Uma ótima maneira de começar um novo ano e de retomar um projeto. Afinal, “a vida é muita longa”, não?
"Álbum de Família" é brilhante e deve colecionar vários prêmios "Álbum de Família" é brilhante e deve colecionar vários prêmios Reviewed by Mayara Munhoz on 15:16 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.