'Hotel Artermis' entrega menos do que promete, mas ainda assim agrada


Já faz algum tempo que eu tenho vontade de voltar a escrever aqui no blog. Não vou prometer que esse será um retorno definitivo, mas tentarei me comprometer mais. Dito isso, ontem eu fui ao cinema e assisti ao curioso Hotel Artemis.

Drew Pearce, roteirista de Homem de Ferro 3 e Missão: Impossível - Nação Secreta, faz sua estreia como diretor com um elenco de peso. A história do longa, porém, tem falhas e acaba por decepcionar - principalmente se você assistir ao trailer antes.

A trama se passa no ano de 2028, em Los Angeles, que vive um estado de guerra civil. As ruas estão tomadas por manifestações, a polícia tem autorização para atirar para matar e o caos está instalado por completo. Em um cenário bem futurista, o Hotel Artemis é o centro de toda a história.

O local, comandado pela Enfermeira (a maravilhosa Jodie Foster), é um hospital secreto para criminosos e assassinos que precisam de cuidados médicos e não querem problemas com a polícia. Tudo se desenrola em apenas uma noite e envolve poucos personagens.

O principal destaque, como não poderia ser diferente, é Foster. Longe das telonas desde 2013, quando fez Elysium, a experiente atriz está impecável. Ela dá vida a uma mulher que parece saber o que faz ao ser responsável pelos cuidados médicos no hotel, mas que lida com problemas de ansiedade e sofre pela morte do seu filho. Além dela, gostei muito das atuações de Dave Bautista, conhecido por interpretar Drax em Guardiões da Galáxia, como o não tão assustador Everest, e de Sterling K. Brown, de This Is Us, com um simpático e inteligente ladrão.

Como disse antes, a trama decepciona. A sensação que o filme passa é de que você está, na verdade, vendo o final de uma história e perdeu os primeiros episódios. Você não consegue se conectar tanto com os personagens, mesmo que em alguns momentos, seus passados sejam explicados de maneira sucinta.

Paralelo a isso, temos uma fotografia sensacional. O cenário pensado para o Hotel Artemis é incrível, misturando um local com uma característica mais antiga com os detalhes futuristas. As cenas de ação também podem ser destacadas como pontos positivos, principalmente a protagonizada por Sofia Boutella, que vive a belíssima Nice.

Por fim, como diz o título, o filme consegue agradar - talvez mais o menos exigentes. Mesmo com os problemas no roteiro e a falta de conexão com os personagens, Hotel Artemis prende a atenção e tem atuações perfeitas que salvam a produção.

Se você é uma pessoa que gosta de prestar atenção aos detalhes e criar teorias sobre os personagens e sobre os filmes, vale focar toda a sua atenção na Enfermeira. Não vou dar spoiler, claro, mas sai da sala do cinema com a impressão de que tudo que acontece no filme é para que ela tenha um desfecho em sua vida, mesmo que o hotel em si seja o "personagem principal" da trama.

Uma observação besta para encerrar o texto: existe um Artemis Hotel de verdade. Ele fica na Barão de Limeira, no centro de São Paulo. Será que rola algo secreto por lá também?
'Hotel Artermis' entrega menos do que promete, mas ainda assim agrada 'Hotel Artermis' entrega menos do que promete, mas ainda assim agrada Reviewed by Mayara Munhoz on 16:44 Rating: 5

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.